Por L. Roberto Silvado

Uma das melhores formas de compreender os outros é perguntar-lhes: “COMO VOCÊ VÊ SUA VIDA?”. Você descobrirá que existem tantas respostas quanto existem pessoas. Seu modo de enxergar a vida molda sua vida. Seu modo de definir a vida determina seu futuro.

Sua perspectiva influenciará como investirá seu tempo, gastará seu dinheiro, usará seus talentos e valorizará seus relacionamentos. Sua não verbalizada metáfora de vida influencia sua vida mais do que você imagina.

Suas esperanças, valores, relacionamentos, metas e prioridades são definidos pelo seu consciente e pelo seu inconsciente. Se você pensa que a vida é uma festa, seu principal valor é divertir-se.

Se você vê a vida como uma corrida, certamente valorizará a ve­locidade e provavelmente estará apressado a maior parte do tempo.

Se você vê a vida como uma maratona, valorizará a resistência. Se você vê a vida como uma batalha ou um jogo, vencer será muito im­portante para você.

Qual é sua visão da vida? Você já parou para pensar que pode estar fundamenta­da em uma metáfora falsa? Você pode tê-la recebido de seus pais, de seus amigos, de um filme, de uma revista ou de alguma outra fonte falível.

Discípulos de Cristo são desafiados a contestar o pensamento convencional e substituí-lo pelas metáforas bíblicas da vida. A Palavra de Deus nos ensina: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12.1,2)

Ao longo da vida, o discípulo amadu­rece na fé e no conhecimento da Palavra e percebe que é um peregrino (1 Pedro 2.11), e por isso não se apega às coisas desta vida, pois está de passagem neste mun­do.

Cristãos descobrem que são parte do Corpo de Cristo (1 Coríntios 12.25,26) e assim sofrem com os que sofrem e se alegram com os que se alegram.

O apóstolo Paulo, na carta aos mora­dores de Éfeso, afirmou que quando acei­tamos a Cristo como Senhor e Salvador, “… Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com Ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incom­parável riqueza de sua graça, demons­trada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus.” (Efésios 2.4-7)

Desde o dia da nossa conversão tor­nou-se possível para nós enxergar a vida do ponto de vista de Deus, pois Deus “nos fez assentar nos lugares celestiais em Cris­to Jesus”.

Se tenho um olhar bíblico da vida, das coisas, dos seres humanos, dos seres vivos, vejo a manifestação da gló­ria de Deus em toda parte e experimento a manifestação do Seu poder em todo o tempo.

O perigo é, após algum tempo de convertido, “descermos” das regiões ce­lestiais e passarmos a tentar viver a vida cristã a partir da razão humana e não da perspectiva divina.

Você está assentado nas regiões celestiais ou tem procurado viver a vida cristã na força da carne?

Vol­te para as regiões celestiais e veja TUDO como Deus vê!!