[Bangkok ] – O americano, Elijah Brown, texano de nascimento, foi indicado como secretário geral da Aliança Batista Mundial (ABM).
Neville Callam, jamaicano, se aposenta desta posição em dezembro, depois de mais de 10 anos de serviço.
Brown foi formalmente aprovado pela Junta Executiva em Bangkok, Tailândia, na terça-feira, 4 de julho, e seu nome será apresentado ao Conselho Geral na sexta-feira, 7 de julho para um voto final.
Brown, de 36 anos, tem uma década de envolvimento com esta organização internacional dos batistas, começando em 2007 quando foi nomeado como um dos 35 líderes mundiais emergentes pela ABM. Ele está atualmente como secretario regional da ABM para a América do Norte e secretario geral da Comunhão Batista Norte Americana.
Ele é membro do Conselho Geral da ABM; da Comissão Jurídica e de Constituição; da Comissão de Indicações; Comissão de Congressos; e da Comissão de Missões, Evangelismo e Comissão Consultiva de Justiça. Ele é o vice-presidente da Comissão de Liberdade Religiosa da ABM e é membro da Comissão de Educação Teológica.
Brown também serve substancialmente como vice-presidente executivo da Iniciativa Wilberforce, uma organização cristã de direitos humanos com escritório em Falls Church, Virgínia, nos EUA. Antes disto, ele foi professor associado de Religião na Universidade Batista do Leste do Texas, onde ele foi o diretor fundador do Centro de Liberdade.
Ele recebeu seu grau de bacharel da Universidade Mary Hardin-Baylor no Texas com duas concentrações: Religião e História e seu Ph.D. em Divindade em Cristianismo Mundial,da Universidade de Edimburgo, Escócia.
Ele é um especialista em direitos humanos e liberdade religiosa. Sua dissertação enfocou questões relacionadas como cristianismo mundial, incluindo missões e crescimento de igreja, construção da paz e resolução de conflitos, e a interação entre religião e política. Ele ajudou a iniciar a Iniciativa Wilberforce e se tornou seu vice-presidente executivo.
Brown tem feito pesquisas, liderado eventos de treinamento e advogado direitos humanos no Sudão do Sul, Nigéria, Eritreia, Iraque, Nepal e outros países. Ele tem mandado relatórios às Nações Unidas e para o Departamento de Estado Americano, Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional e várias fundações e grupos.
Ele é casado com Amy e pai de Hudson, Sahara e Keziah.