Por Pr. Marcio Tunala

Existe uma lei apresentada pelas escrituras que conhecemos como “lei da semeadura” – tudo que se planta, se colhe. Essa lei foi estabelecida por Deus para todos. E quando pensamos em nossa vida financeira esta lei é fundamental. Você já percebeu como as dívidas têm uma facilidade imensa de crescer? Quando alguém está devendo por ter adquirido muitas dívidas, ele vive sobre a pressão de não poder gastar mais, e ainda tem que contar com os juros que são acrescentados a cada mês pelo credor.

Mas quando usamos nosso dinheiro de acordo com ensinamentos bíblicos, ele também multiplica. Podemos abençoar muito mais quando andamos de acordo com a Palavra, no que se refere a nossos ganhos financeiros. A Bíblia nos ensina que: “Cada um se farta de bem pelo fruto da sua boca, e o que as mãos do homem fizerem isso ele receberá”, Pv 12.14.

Você é fiel e comprometido com Deus com tudo que você tem? Seja você um assalariado, profissional liberal ou vendedor autônomo… Tudo que recebemos vem de Deus e é fundamental que tenhamos nossa vida consagrada integralmente.
Deus quer seu coração por completo: imagine um barril de madeira. Ele tem ripas que são encaixadas e está vedado o suficiente para reter a água. Só que uma das ripas está quebrada, ou rachada. Por mais que todas as outras estejam intactas, este barril não vai conseguir cumprir o seu propósito.

Assim deve ser nossa vida financeira. Entregar o dízimo não pode ser a parte difícil no coração. Entregar o dízimo deve ser prioridade, além de grande privilégio.
Ser fiel no dízimo tem a ver com:

•Amor genuíno a Deus.
•Compromisso de fato com a Bíblia.
•Santidade – viver separado.
•Responsabilidade compreendida.

Conheço muitas pessoas que, por terem desenvolvido este dom, são prósperas. Deus nos abençoa para que possamos servir com nossos bens. Sua empresa existe para abençoar, as vitórias nos estudos são conquistas concedidas pelo Senhor para que você possa servir, seu patrimônio pode ser uma benção para a igreja e para a cidade, pois tudo pertence a Deus.
O deus do dinheiro é Mamon: muitos morrem devido ao dinheiro. Outros matam por causa do dinheiro. Tantos adoecem por causa do dinheiro (ambição, excesso de trabalho); outros perdem sua família por causa do dinheiro, mas aquele que é fiel ao Senhor no todo, prova a benção de Deus por completo.

Promessas: quando contribuímos e entregamos os dízimos ao Senhor, devemos nos lembrar de que as promessas de Deus não são sempre materiais, e não podem ser completamente experimentadas aqui na terra, mas certamente as receberemos em nossa vida futura, no céu.

Jamais devemos fazer uso daquilo que não é nosso, como fizeram Ananias e Safira, ao reterem parte do valor que haviam prometido aos apóstolos (At 5.1-11). Cuidado! O dízimo não é seu. “Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho” (Provérbios 3.9-10).