Leia a nossa pastoral neste link

Deus espera que tenhamos uma vida simples e desembaraçada. Por isso, nos ensina tanto à respeito de algumas coisas. A maneira de lidar com o dinheiro sempre foi um desafio para o ser humano. O amor a ele e a cobiça pelo que não temos nos traz muitos sofrimentos (1 Timóteo 6.10).

O roteiro que o ser humano criou se tornou complexo: o amor ao dinheiro fala mais alto que muitas coisas, aprendemos que somos aquilo que temos e para ser feliz, precisamos adquirir. Assim vivemos ansiosamente os nossos dias.  As pessoas aprenderam também a olhar só para si, produzem, mas não repartem; julgam e excluem; dão valor a coisas e não a pessoas.

Mas é possível viver uma vida simples e desembaraçada como Deus planejou para nós. É possível não sermos escravos do dinheiro e daquilo que não nos define. Três conselhos podem nos ajudar:

1. Olhe para o alto! As coisas boas são dádivas de Deus.

O texto de 1 Timóteo 6 diz para não colocarmos a nossa esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus que tudo nos provê ricamente, para a nossa satisfação. A nossa vida não consiste na quantidade de bens que temos, nem a quantidade de dinheiro nos define. Muito menos, a nossa segurança e felicidade devem depender disso.

Tudo que temos foi dado pelas mãos de Deus, são dádivas dEle. Por isso, olhamos para o alto e confiamos em Deus que a todos dá, e de tudo faz para suprir as nossas necessidades.

Tudo que temos é dEle e por meio disso honramos o nome dEle.

2. Tenha contentamento!

Deus dá o recurso e a capacidade. Se fizermos tudo com excelência, colheremos sempre bons frutos do nosso trabalho para desfrutar.

Contentamento é a alegria com o que já temos. Se entendemos que não somos definidos pelo bens e a nossa felicidade não deve depender disso, sabemos lidar com o pouco ou com o muito, conseguimos estar satisfeitos e não ficamos escravos do que precisamos consumir. Somos gratos a Deus e multiplicamos aquilo que Ele já proveu.

3. Seja generoso!

O mesmo texto de Timóteo nos ensina a praticar o bem, ser generosos e prontos a repartir. Assim alcançaremos a verdadeira vida.

O dinheiro não garante sucesso em tudo, devemos dar prioridade às pessoas e os relacionamentos. E demonstramos amor quando somos generosos.

A pessoa generosa está pronta a repartir, não olha e pensa nas coisas que ainda não tem, mas pergunta-se como pode ajudar o próximo que, muitas vezes, não tem nem o que comer ou vestir.

A  generosidade faz parte da essência de Deus e mostra a Sua presença em nós. Ele ainda promete que o generoso prosperará, pois, quem dá alívio aos outros, alívio receberá (Pv. 11.25).