Estávamos nos mudando e, com muito cuidado, embalamos as várias peças de cristal que ganha­mos no dia do nosso casamento. Logo que o cami­nhão de mudança chegou, abrimos as caixas para verificar se os cristais haviam chegado inteiros.

A filhinha de um casal conhecido estava lite­ralmente “embrulhada” em roupinhas de lã daquelas que só as avós sabem tricotar. Para abrir a porta do carro o pai colocou-a sobre o carro. O “Moisés” escorregou e aquela bola de lã rolou para o chão. Com muita rapidez e o coração pal­pitando o pai e a mãe rapidamente abriram o novelo dela para ver se estava tudo bem.

Somos muito solícitos para garantir a integri­dade física dos que amamos, para proteger os bens que possuímos mas, com certa tristeza tenho observado pais que não são tão cuidado­sos assim com a integridade espiritual dos seus filhos. Entregam à igreja a responsabilidade de ensinar-lhes a Palavra, como se fosse possí­vel fazer isto numa ou duas horas por semana.

Esses pais não verificam ao longo da vida, em diversos momentos, como seus filhos estão es­piritualmente. Não os protegem nas mudanças que acontecem em vários estágios da vida. Ser bom MORDOMO DA FAMÍLIA que Deus nos deu exigirá de nós um compromisso de:

  1. Orar diariamente pelos nossos filhos! – Re­preendendo os ataques do inimigo das nossas almas e intercedendo para que o Espírito Santo faça uma obra em seus corações.  MARQUE UMA HORA PARA ORAR PELOS SEUS FILHOS!
  2. Conversar com nossos filhos! – Para conhe­cer o que eles pensam. Quais são os seus so­nhos? Do que eles gostam e não gostam? O que pensam os seus amigos? O que se fala na esco­la? Só assim você poderá ajudá-los a aprender a fazer escolhas. Comece quando os filhos ainda são pequenos para continuar o diálogo na ado­lescência e juventude. COMECE A CONVERSAR PARA CONHECER.
  3. Compartilhar sua vida com eles! – Fale da sua história. Converse sobre as suas lutas, vitórias e derrotas. Compartilhe os seus sonhos e expectativas. Fale sobre como você via a vida quando tinha a idade deles. Diálogo entre filhos e pais é uma rua de duas mãos. COMPREENSÃO MÚTUA SURGIRÁ DO CONHECIMENTO MÚTUO.
  4. Transmitir o amor pela Palavra! – Quando eles percebem que amamos a Palavra de Deus e o Deus da Palavra, fica mais fácil fazer a transi­ção do “Deus dos meus pais” para o “meu Deus”. Fale de suas experiências com Deus e deixe que seus filhos façam perguntas, questionamentos e compartilhem o seu caminhar com Deus. ALI­MENTE A PRESENÇA DE DEUS NA VIDA DELES COM A SUA VIDA.

O sábio escritor de Provérbios já nos alertou:

“Ouça, meu filho, e aceite o que digo, e você terá vida longa. Eu o conduzi pelo caminho da sabe­doria e o encaminhei por veredas retas. Assim, quando você por elas seguir, não encontrará obstáculos; quando correr, não tropeçará. Ape­gue-se à instrução, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida.” (Provérbios 4.10-13).

Vamos juntos zelar pelas nossas famílias!

ENDEREÇO

R. Amazonas de Souza

Azevedo, 134 Bacacheri,

82520-620, Curitiba - PR

 

Telefone: (41) 3363-0327

assine nossa newsletter