Por Dayse Fontoura

Vivemos em um mundo que valoriza a autoafirmação. Antes, nossos pais nos ensinavam a falar de nós mesmos com modéstia. Hoje, o negócio é vender a sua imagem e falar das suas habilidades como se elas fossem a resposta a todas as necessidades do universo.

Devíamos perceber que podemos ser parte de uma solução, porque é a cooperação que traz melhores resultados.

Nossos jovens são treinados para não serem “ensináveis”. Muitos partem do princípio que sabem muito. Apesar da pouca experiência de vida, não estão propensos a ouvir os mais velhos. E muitos “mais velhos” acham que chegaram ao topo da montanha do conhecimento e muitos nem reconhecem os que contribuíram para que chegassem até lá e que não há mais o que aprender.

Todos cheios de si mesmos. Jesus é o oposto completo dessa atitude.

Como diz Filipenses 2.6 e 7- “embora sendo Deus não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se, mas esvaziou-se a si mesmo…”. O Mestre Criador do Universo (todas as coisas foram criadas por meio Dele e para Ele) decidiu que iria se esvaziar para que pudesse nos alcançar. Veio aqui aprender a obedecer como homem (Hebreus 5.8) para nos mostrar que a obediência é possível.

O Senhor não precisava que os homens testemunhassem sobre quem Ele era, pois sabia muito bem de Si mesmo.

Podia usar Seu poder para persuadir os homens a crerem Nele e a reconhecê-Lo como Deus, mas preferiu deixar que exercessem seu livre-arbítrio. Ouviu alguns falando mal Dele e outros O louvando sem que isso abalasse Sua Pessoa.

Ele foi o único que pôde dizer de si mesmo: “sou humilde”, sem que isso representasse falta de modéstia. E Sua humildade era mais um traço da Sua fortaleza de caráter.

Ser autoconfiante é bom, desde que isso não nos leve à prepotência de acharmos que somos mais importantes do que os outros. Mas, melhor é percebermos que enquanto estivermos nessa vida, teremos sempre o que aprender e que qualquer pessoa – da mais humilde à mais instruída – pode nos ensinar.

Mais importante, no entanto, reconhecermos que temos muito que aprendermos de Deus. Isaías 57.15 diz que “o Senhor habita com o humilde e é isso que faz deles fortes!”