Por Hedy Silvado

Outro dia li uma mensagem que me fez pensar. Muitos esposos e pais chegam em casa com o seu
“resto” para encontrar a família. Eles dão o seu melhor lá no trabalho, são super educados com seus
clientes e amigos, mas parece que ao chegar em casa eles esquecem que cortesia e boas maneiras
funcionam no lar também. A ilustração que a autora usou foi a de alguém que saía de manhã para
tomar café com os amigos e pedia para a garçonete embrulhar as sobras. Aí, ele trabalhava, parava
para almoçar, voltava a trabalhar e no final do dia chegava em casa e oferecia para seus filhos e
esposa o resto do seu café da manhã, que aliás era muito bom, tinha croissant, pão-de- queijo, ovos
mexidos, bolos … mas era resto!

Pensei nas vezes em que nós, esposas e filhos também não esperamos nossos esposos e pais como
eles merecem. Lembro-me de quando meus filhos eram pequenos e nós queríamos estar de banho
tomado, bem cheirosos para esperar o papai… Arrumávamos a sala (isto significava juntar os
brinquedos nos quais ele poderia tropeçar) e a mesa do lanche. Se o ambiente estava pesado,
procurávamos nos acalmar e criar uma atmosfera mais aconchegante por que o “papai já vai chegar”.
Quantos sustos meu esposo levou (ou fingiu que levou) ao abrir a porta e escutar aquele “Buuu”. Por
mais exausto que estivesse, a alegria das crianças e saber que ele estava sendo esperado, faziam a
“nuvem escura” ir embora.

Nem todos os dias é possível cria um ambiente assim, mas devemos nos esforçar para ter um lar
acolhedor. A família toda se beneficia com isto e estamos criando um modelo na cabeça de nossos
filhos. Temos até hoje nossas noites (tardes, ou…) de família, pois, com os filhos grandes não
estamos mais juntos nas refeições, nem chegamos à noite no mesmo horário. Mas, estes encontros
continuam sendo momentos muito felizes e importantes. Há semanas que nos telefonamos várias
vezes tentando achar um horário possível para os quatro. Às vezes assistimos a um filme juntos e
depois conversamos; outras, jogamos boliche; simplesmente sentamos e conversamos, fazemos um
estudo bíblico, jogamos “imagem e ação”, “flash”… O importante é estar juntos e nos relacionarmos,
cada um sabendo como o outro está, seus sonhos, suas realizações, sua caminhada com Deus.

Estes momentos são as melhores memórias que podemos deixar para os nossos filhos. Se você tem
investido tempo na sua formação acadêmica, no seu trabalho, não se esqueça de investir em sua
família, afinal é dela que vem o seu suporte emocional para enfrentar o dia-a- dia e é com ela que
você vai contar no final dos seus dias.

ENDEREÇO

R. Amazonas de Souza

Azevedo, 134 Bacacheri,

82520-620, Curitiba - PR

 

Telefone: (41) 3363-0327

assine nossa newsletter