Por Marcio Tunala

Uma história belíssima de perdão pode ser lida no livro de Gênesis: a trajetória de José do Egito. Uma história de superação de um homem que tinha todos os motivos para odiar seus irmãos. Ele foi vendido como escravo por seus irmãos, que tomaram esta decisão após planejar até mesmo a sua morte. José rompe com a razão humana quando perdoa seus irmãos, ele abre mão da herança familiar de erros e incoerências.

Ele era filho de Jacó, chamado de suplantador e enganador por ter enganado seu próprio pai Isaque, roubando a primogenitura de seu irmão Esaú. Sua família não era uma fonte segura de exemplos para que ele pudesse se inspirar e decidir perdoar os seus irmãos de tamanha crueldade cometida contra ele.

Creio que o grande modelo de perdão que existia no histórico da família de José era seu tio Esaú, que havia perdoado seu pai Jacó do roubo da primogenitura. Esaú tinha razões de sobra para nunca mais per- doar Jacó, mas a narrativa bíblica mostra que ele perdoou o irmão ao invés de matá-lo, como o próprio Jacó temia.

Muitas vezes nossos atos são influenciados pela herança que recebemos de nossa família, exemplos negativos de nossos pais são difíceis de serem evitados. Viver em novidade de vida conforme nos desafia a palavra de Deus é viver de forma contrária à natureza humana. Quando vivemos com Cristo, rejeitamos toda herança que seja maldita. Nossa família é aquela que pode nos abençoar muito e também pode nos amaldiçoar. O importante é entendermos que em Cristo podemos vencer qualquer herança maldita.

Em Cristo, filhos de enganadores podem ser honestos e íntegros, filhos criados em ambiente de promiscuidade e devassidão, podem se tornar homens segundo o coração de Deus. Jacó, o enganador, foi transformado por Deus e se tornou em Israel, pai de uma grande nação. Seu filho, José, foi tremendamente usado por Deus para abençoar o Egito e principalmente a nação escolhida por Deus. José foi vendido por seus irmãos, foi condenado, preso injustamente e passou anos na cadeia, mas todas as injustiças cometidas contra ele não foram capazes de impedi-lo a protagonizar uma belíssima e surpreendente história de perdão.

A história de José aponta para o grande amor de Deus pela humanidade revelada em Cristo Jesus. Eu não sei qual o desafio de perdão em sua vida ou na sua família, mas uma coisa eu sei, a história de José está registrada para abençoá-los. Não é difícil falar sobre o perdão, o desafio é perdoar. Quem acha que é fácil perdoar, é porque ainda não passou pelo caminho da traição, rejeição ou agressão. O perdão é o tema central do Cristianismo e é a razão de ser da Cruz de Cristo. A morte de Jesus foi o preço pago para que o perdão se tornasse uma realidade na vida de todos aqueles que aceitassem o convite da Graça para voltar a se relacionar com Deus.

Entender a necessidade de perdoar é compreender o que significa a Graça de Deus dispensada a todos nós. Meu desafio é que cada família busque inspiração em Deus, no Seu grande amor e busquem viver em paz, livres de qualquer amarra que possa impedir uma vida próspera e frutífera.