Por Marcos Paulo Ferreira

Você conhece a pirâmide das necessidades humanas? É uma teoria desenvolvida pelo psicólogo comportamental Abrahan Maslow, que demonstra a hierarquia das necessidades humanas. A base da pirâmide significa a primícia de nossa vontade, o que seria mais vital para nós, como as necessidades relacionadas ao sono, à alimentação e segurança. Em seguida, viriam as realizações um pouco menos essenciais, como aceitação social e conquistas desejadas. Enfim, no topo estariam as poucas necessidades sem tanta urgência, mas que fariam uma pessoa plenamente realizada.

Aprendi sobre essa teoria quando cursava Contabilidade. Naquela época, eu era recém-convertido, ainda muito jovem, e a pergunta inicial foi: por que Deus está tão longe das nossas necessidades mais básicas? Algum tempo depois, já cursando Administração de Empresas, estudamos essa teoria novamente, o professor dizia que a pirâmide era desatualizada pois não contemplava a realidade de uma sociedade consumista e estimulada por padrões comparativos.

Ele ironizava dizendo “quem aqui já viu alguém deixando de comer para pagar a prestação de um carro?”, “quem aqui já viu alguém que tem um carro de alto nível, paga o seguro, mas não paga um plano de saúde ou uma casa própria?”. E continuava ele discorrendo sobre exemplos de situações em que a sociedade de consumo forçava as pessoas a imitarem seus ídolos preferidos, abrindo mão de necessidades essenciais para satisfazerem desejos fúteis.

O Senhor Jesus, no Sermão do Monte, ao tratar sobre os desejos humanos, suas buscas e preocupações, estabelece um padrão comparativo e nos mostra uma escala muito parecida com a de Maslow (Mateus 6.19-34).

Jesus começa falando das preocupações da vida expondo o nível mais essencial, a base da pirâmide: “quanto ao que comer ou beber; … próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa?”. Ele também estabelece um padrão comparativo usando as criaturas mais simples e livres já criadas: “observem as aves do céu… vejam os lírios do campo”. Jesus confirma que somos movidos por esses impulsos mais básicos, como: o fisiológico, o psicológico e o social por meio dos padrões comparativos.

Entretanto, ele estabelece um desejo e uma busca que devem preceder, ter primícia frente a todos esses impulsos que “os pagãos correm atrás”. O Senhor Jesus estabelece a principal base da pirâmide que deve vir antes até da minha necessidade de sobrevivência, ele diz: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.”. Lembrando do início do Sermão do Monte que nos mostra quem são os “Bem-Aventurados”, Jesus nos revela que a realização, a felicidade e o ser abençoado é algo que vem antes do ter.

Quando a base da pirâmide de nossas necessidades é o Reino de Deus e sua Justiça, a autorrealização começa de baixo para cima, o ser vem antes do ter. Como é a pirâmide de suas buscas e necessidades?