Uma história interessante tem sido contada ao longo dos séculos sobre a reforma da Catedral
Anglicana de São Paulo em Londres. Sir Christopher Wren era o responsável pela grande reforma
que a transformaria na catedral famosa até os dias de hoje. Segundo historiadores, um dia ele foi até
a obra disfarçado como uma pessoa comum para conversar com aqueles que trabalhavam na obra.
Ele caminhava perguntando aos homens o que eles estavam fazendo. Um deles respondeu: “Estou
cortando uma peça de mármore.” Outro disse: “Estou trabalhando para ganhar uns trocados”.
Mas, um outro homem tinha uma percepção muito diferente acerca do que ele estava fazendo e por
isto respondeu: “Eu estou ajudando a construir uma grande catedral para a glória de Deus”.

Que contraste na atitude, motivação e percepção destes operários. Ter a motivação certa para fazer o

Se alguém perguntasse o que você está fazendo como pai do seu filho ou da sua filha qual seria a sua resposta? Você diria:  “Estou pagando as contas para eles terem um teto sobre a cabeça, roupa no corpo e comida na mesa!”. Quem sabe sua resposta seria:
“Estou aturando suas malcriações até que cresçam e saiam de casa!” Alguns pais sinceramente
teriam de dizer: “Eu estou me realizando nos meus filhos incentivando-os a fazer tudo o que eu não
fiz na minha juventude”.

Mas, felizmente muitos pais que eu conheço diriam: “Eu estou preparando meus filhos para a vida,
quero que desenvolvam todo o potencial que Deus lhes deu individualmente, ensinando-os a amar a
Deus de todo o coração e ao próximo como a si mesmos”.

Que contraste entre estes pais. Alguns gastam toda a sua energia para prover necessidades materiais e
ignoram que seus filhos têm necessidades emocionais e espirituais. Outros estão interessados apenas
em que os filhos se sintam felizes na juventude como se a vida fosse um grande parque de diversões.

Quando o sábio escritor do livro de Provérbios nos diz “Instrua a criança segundo os objetivos que
você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles.” Ele está nos falando de
sermos pais que têm a convicção de que a paternidade é uma tarefa muito maior e muito mais digna
do que prover as necessidades materiais, do que fazer nossos filhos felizes.

A paternidade verdadeira é uma grande missão. Como aquele operário via “… uma grande catedral para a glória de Deus.” na agitação de um canteiro de obras eu e você somos desafiados e ver, com os olhos da fé, grandes homens e mulheres surgirem porque nós os preparamos para a vida, ensinando-os amar a Deus e ao próximo.

Você aceita o desafio?