Por Pr. Wellington Martins

Em nossos dias, onde os fatos mundiais são instantaneamente divulgados pela mídia, fica muito evidente situações em que  pessoas são perseguidas por defenderem alguma causa específica. Elas acreditam que a sua luta tem valido a pena e permanecem firmes em seus ideais, mas será que elas têm conseguido experimentar os resultados disso?

Jesus ensina que nós, seu povo, precisaremos também defender um causa, Ele diz: “Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.” (Mt. 5.11-12).

Compreendo que precisamos entender a grande lição que Jesus quer nos ensinar nesse texto, uma frase de John Stott nos  ajuda a entender melhor, ele afirma que “Nenhum comentário poderia ser mais prejudicial para o cristão do que as palavras: mas você não é diferente das outras pessoas”.

É isso, se nossa forma de viver não está incomodando ou impactando as  pessoas ao nosso redor, é sinal que nosso testemunho está morto, apagado, quando vivemos como discípulos radicais de Cristo, nossa forma de vida precisa gerar mudança e precisaremos lutar e defender a nossa fé e, provavelmente, seremos perseguidos por isso.

Interessante é refletir que o fato de sermos perseguidos deve gerar em nós um sentimento de alegria, pois isso será prova de que, estamos sim, exercendo nosso papel no mundo em que vivemos. Ao contrário de quem defende uma causa terrena, nossas recompensas e o resultado de nossa vida serão de dimensões eternas.

Lembre-se, se sua vida não tem incomodado e impactado as pessoas ao seu redor, é melhor repensar em sua maneira de viver como cristão. Coloque-se inteiramente diante de Deus e permita que Ele ajuste seus hábitos e costumes. Aceite os riscos de ser discípulo do Mestre e regozije-se, pois grande será a sua recompensa. As promessas de Cristo nunca falham!