Por Marcio Tunala

Há mais de trinta anos quando ain­da era um garoto, ouvi uma história interes­sante sobre oração. Conta a história que um homem estava se preparando para retornar para casa depois de um dia trabalho. Ele havia levado seu netinho para sua fazenda e prontamente chamou o neto que brincava despreocupadamente.

Antes de ir embora ele sentou em um toco, puxou seu neto para perto e disse ao menino; agora nós vamos orar e pedir a Deus que nos mande chuva, pois há semanas não chove e caso não cho­va bem rápido vamos perder toda esta plan­tação.

O avô orou clamou a Deus que en­viasse chuva. Foi uma oração carregada de preocupações de quem tinha muitos com­promissos assumidos e precisava muito que chovesse urgentemente sobre a plantação.

Ao terminar sua oração se levantou se­gurou a mão do menino e ao ir embora o neto pensativo questionou: Vô, o senhor não vai levar um guarda chuva?

Fé e oração são inseparáveis, uma depende da outra. É muito importante na vida de um cristão que sua vida de oração seja regada de esperan­ça e convicção de que Deus tem poder para fazer muito mais do que pedimos.

Qual é a base de sua vida de oração? Como você tem se apresentado diante de Deus?

Só existe um jeito de alcançar o coração de Deus por intermédio da oração, indiscu­tivelmente Deus não escuta nossas palavras por mais elaboradas que sejam. Ele escuta o nosso coração e considera muito nossa fé.

Um coração sincero é o que move o coração de Deus. Não adianta sacrifícios religiosos, nem mesmo repetir inúmeras vezes a mes­ma oração, não é necessário gritar, basta falar com o coração. Nada vale mais que a verdade assumida e declarada na presença de Deus para que Ele ouça e mobilize Seu amor e poder em benefício de uma pes­soa.

Para Deus não existe novidades e tudo que pedimos já é conhecido por Ele. Nosso grande desafio é sermos honestos a ponto de clamar a ajuda de Deus até mesmo para iniciar nosso tempo de diálogo com Ele. A atitude do homem diante de Deus faz toda a diferença e precisamos orar e agir.

Se pe­dimos chuva, nada mais sábio que providen­ciar um guarda chuva, este é o principio da fé.

Devemos sempre avaliar a coerência de nossas orações e nunca desconfiar do inte­resse de Deus em nos atender. Não deixe de orar sempre e não se esqueça de que orar e agir são ações que sempre devem caminhar juntas.

“Peçam e vocês receberão; procurem e vocês acharão; batam, e a porta será aberta para vocês”. Mateus 7.7