Por L. Roberto Silvado

Existe uma fórmula mágica para que a família viva em união?

“Vivam em paz uns com os outros. Recomendamos ainda o seguinte: aconselhem com firmeza os
preguiçosos, animem os desanimados, ajudem os fracos na fé e tenham paciência com todos. Tomem
cuidado para que ninguém pague o mal com o mal. Ao contrário, procurem fazer sempre o bem uns aos outros e a todos em geral.” Bíblia, Primeira carta aos Tessalonicenses 5.13-15.

Muitas pessoas passam a vida atrás do “e viveram felizes para sempre” que lemos nos contos de
fadas. Na vida real descobrimos que não existe o “mágico final feliz”. O que existe é um homem e
uma mulher aprendendo a expressar amor na presença da egocêntrica natureza humana.

É através desta tensão que crescemos como indivíduos e como casal. É convivendo assim que descobrimos ser possível experimentar um relacionamento conjugal ainda melhor do que qualquer conto de fadas –ser verdadeiramente feliz. Felicidade é consequência e não a causa da nossa existência. Felicidade é resultado de crescimento pessoal e conjugal.

Crescemos quando buscamos a paz – não a ausência de conflito. Crescemos quando aprendemos a perceber como certas observações, implicâncias e silêncios promovem a guerra – Vivam em paz uns com os outros!

Descobrimos nossos motivos e intenções verdadeiros quando temos que conversar, negociar, exortar,
aconselhar aqueles que se revoltam com tudo e com todos. (Não é verdade que muitas vezes vemos a
nós mesmos na rebelião de nossos filhos?) Descobrir quem eu sou no íntimo é uma das coisas boas
resultantes da vida familiar – Aconselhem com firmeza!

“Você sabe que aqui tem um ombro para chorar!” Qual foi a última vez que você doou seu tempo e
ombro para aliviar a dor de alguém? Quantas vezes descobrimos que o silêncio da nossa presença
confortou mais do que mil palavras? O ambiente do seu lar tem sido de crítica e julgamento ou de
incentivo e reconhecimento? Nada como ser reanimado por aqueles que você mais ama – Animem
os desanimados!

Esta vida está cheia de surpresas – “Aquele que pensa que está em pé é melhor ter cuidado para não
cair.” (1 Co 10.12). Você está preparado para estender a mão sem julgar, sem dizer “Eu não falei?”
para uma “torre de autossuficiência”? Os fortes, segundo os padrões humanos certamente
descobrirão a sua fraqueza.

Amparar o próximo no seu momento de fraqueza é prioridade da família e dos amigos. Deus seja louvado se eu e você pudermos mostrar-nos fracos nos nossos lares.

Vergonhoso é perder a oportunidade de ser fonte através de Deus – Ajudem os fracos na fé!

E quando o insubmisso não aceitar o diálogo? E quando o desanimado não quiser ser consolado? E
quando o fraco pensar que é forte? A Bíblia nos anima dizendo: Tenham paciência com todos!

Um adesivo de um grupo de casais diz: “Nenhum sucesso compensa o fracasso no lar”. Maridos, esposas, filhos, filhas, famílias iniciadas para viver em união, não permitam que a natureza humana e as
pressões da vida moderna afastem-nos do propósito inicial: Procurem fazer sempre o bem!

E a cada dia, através de cada pessoa, em cada relacionamento, descobriremos mais do que o final feliz de um conto de fadas, descobriremos o plano de Deus para nossas vidas – Vida em abundância!